Você está aqui

Conteúdo

14.05.2020

Conheça 3 riscos de explosão no agronegócio e como preveni-los

Quando pensamos em agronegócio, a primeira imagem que vem à mente são as belas propriedades com muitos hectares, lavouras produtivas e animais desfrutando uma pastagem verdejante. Por outro lado, ninguém pensa nos riscos de explosão. Sim, eles existem!

“Apesar de raramente serem discutidos no agronegócio, os riscos de explosão são mais comuns nas produções rurais do que você imagina”, comenta Jamile Zarif, coordenadora de produtos da Schmersal. Abaixo ela menciona três riscos comuns de explosão no agronegócio que merecem a atenção:

Poeira de grãos - A poeira gerada na movimentação dos grãos - no transporte, processamento e armazenagem, por exemplo - pode gerar uma explosão quando as nuvens de poeira entram em contato com uma fonte de ignição, como uma chave liga/desliga ou uma botoeira não apropriada.

Poeiras acumuladas - As poeiras acumuladas durante os processos nos armazéns, galerias e túneis em superfícies, luminárias, estruturas e até mesmo no chão podem gerar explosões secundárias, pois com a onda de choque gerada pela primeira explosão, a poeira acumulada nestes locais gerará outras nuvens de poeira, ocasionado novas explosões ao entrar em contato com a chama da primeira. A falta de limpeza e de exaustão adequadas podem prover riscos para as instalações.

Riscos ocultos - Quando algo anormal acontece nas atividades, geralmente os colaboradores consideram comum e corriqueiro. Assim, são automaticamente classificados como situações normais e não são tomadas ações corretivas, o que coloca em risco o operador. Um exemplo são os focos de incêndios em limpadores de algodões, que podem propagar e ter consequências desastrosas.

Importante ressaltar que não existe “risco zero” para novos episódios, mas é possível amenizá-los e prevenir desastres com investimento em segurança e conhecimento.

É indispensável que os operadores e todos que tenham acesso aos locais com potencial risco de explosão - como as áreas classificadas como Zonas 20, 21 e 22 – recebam instruções e treinamentos sobre os riscos e procedimentos das áreas. Além disso, é fundamental utilizar equipamentos elétricos fixos e portáteis com proteção Ex, devidamente certificados pelo Inmetro.

E como proteger os negócios dos riscos de explosão? A Schmersal, por exemplo, tem um portfólio dedicado à proteção Ex. “São inúmeras soluções para atmosferas explosivas, com produtos desenvolvidos para eliminar possíveis fontes de ignição que oferecem riscos aos ambientes. É extremamente importante que empresas e profissionais que atuam em áreas com risco priorizem produtos adequados para atmosferas explosivas, incluindo no agronegócio. Todos são corresponsáveis pela prevenção desses acidentes”, finaliza Jamile Zarif.

Links

Colunas de contexto